quinta-feira, 28 de março de 2013

Telefone sem fio: perigo!

Quando eu era pequena, uma das minhas brincadeiras favoritas era o “telefone sem fio”. A gente contava baixinho alguma coisa no ouvido do outro e a informação ia sendo passada adiante até que a última pessoa que recebia a mensagem tinha que dizer, em voz alta, o que havia entendido.
A frase nunca chegava certa. Aos 5 anos era delicioso ver como as palavras mudavam quando passadas de uma pessoa para outra, mas com 30 e algum juízo, essa comunicação truncada não tem a menor graça, principalmente se acontece na sua empresa.
Quando soprou o primeiro vento de outono em São Paulo, notei, aos calafrios, que a temperatura da loja continuava marcando os mesmos 18 graus programados para refrescar o verão senegalês que visitou a cidade. Tomei um pingado pelando para conseguir mover meus músculos até o caixa e explicar para a Inês que a temperatura ali tinha que ser mais acolhedora. A mensagem foi literalmente a seguinte: “Inês, quando estiver frio lá fora, vamos manter a loja quentinha”.
Semana passada, alguns dias antes da Páscoa, vi da rua que o vidro da vitrine estava embaçado. Dentro da loja, os clientes suavam mais que tirador de espírito. E adivinhem? O ar condicionado estava desligado. Chamei uma das meninas da loja para entender o que estava acontecendo e ela me disse: “Ué, falaram que você proibiu de usar”.
E o “telefone sem fio” de Páscoa continuou. Passando pelo estoque - o famoso - flagrei um monte de embalagens jogadas num canto e pedi encarecidamente a todos que tivessem mais cuidado. A mensagem foi literalmente a seguinte: “Gente, não podemos desperdiçar caixas desse jeito”. Um dia depois, o nosso controle de qualidade começou a devolver 8 das 10 caixas de brigadeiro que saiam da cozinha porque estavam amassadas. Quando fui apurar a história, alguém disse que eu tinha falado que a partir daquele dia usaríamos as embalagens estragadas, para evitar desperdícios.
Pode? Depois desse dia, comecei a escrever  tudo o que eu falava para evitar ruídos. E foi assim que passamos a criar procedimentos. Se alguém tem alguma duvida, vai lá e confere no manual de como fazer cada coisa. Telefone sem fio, só wireless.

(originalmente publicado no Blog do Empreendedor, neste link aqui)

quarta-feira, 27 de março de 2013

Novos direitos para empregados domésticos


Novas regras agora são realidade e aguardam apenas promulgação. Entre as mudanças, jornada diária de 8h, FGTS e hora extra passam a valer para trabalhadores domésticos. 

A Proposta de Emenda à Constituição que foi aprovada pelos senadores ontem, 26 de março, em si não é nada complicada: apenas altera trecho do texto constitucional que excluía os trabalhadores domésticos de uma série de direitos garantidos a todos os demais.

Lembrando que isso inclui qualquer pessoa que labute em residências de maneira fixa, sejam babás, faxineiros, cozinheiros, jardineiros, caseiros, mordomos, entre outros.
 
Basicamente, as mudanças mais sentidas no bolso dos patrões serão a contribuição ao FGTS de 8% sobre o salário base do empregado, que antes era facultativa e passa a ser obrigatória, e a remuneração das horas extras, que devem representar o aumento de custo mais significativo. Os empregados também passarão a receber adicional noturno, multa rescisória em caso de demissão sem justa causa e a jornada passa a ser de no máximo 44 horas semanais.

Os novos direitos (todos retirados do artigo 7º da Constituição):
I - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos; (demissão por justa causa)
II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário; (seguro-desemprego)
III - fundo de garantia do tempo de serviço; (FGTS)
VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável;
IX - remuneração do trabalho noturno superior à do diurno; (adicional noturno)
X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa;
XII - salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da lei 
XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho (jornada de trabalho de 8h)
XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do normal; (hora extra)
XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança;
XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré-escolas;
XXVI - reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho;
XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa;
XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil;
XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência;
XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos;
 

Considerando que o empregado não faça horas extras, não receba adicional noturno, não seja demitido e seu salário base seja de mil reais, apenas com o novo custo do FGTS, o gasto mensal do empregador aumentará 6,64%. Se esse mesmo empregado fizer duas horas extras por dia, os custos aumentarão 40,28% e se essas horas extras forem realizadas em período com adicional noturno (das 22h às 5h) o aumento dos gastos será de 50,78%.

“A PEC garante mais 16 direitos aos empregados domésticos, mas em termos de custos o que irá afetar mais o empregador são o FGTS e a hora extra, que já existe de certa forma, mas vai passar a ter um controle de horário”, explica Edith Chaves, supervisora nacional da Consultoria Trabalhista e Previdenciária (COAD).

Veja na tabela a seguir a simulação dos custos dos empregados domésticos antes e depois da proposta usando como referência um salário base de 1.000 reais e de um empregado que não realize horas extras e não trabalhe em período com adicional noturno.

Custos
Antes da proposta
Depois da proposta
Vale Transporte*
R$ 84
R$ 84
INSS (12% sobre o salário)
R$ 120
R$ 120
FGTS
-
R$ 80 (8% sobre o salário)
Total
R$ 1.204,00
R$ 1.284,00
*Considerando que sejam gastos 6 reais por dia com transporte (ida e volta de ônibus na cidade de São Paulo) e que do valor total seja subtraído o valor que o patrão pode descontar do salário do empregado, de 6% do salário base. 

No quadro acima considera-se o novo custo de um empregado doméstico que não faz horas extras e não recebe adicional noturno, mas que passará a receber a contribuição do empregador ao FGTS. Neste caso, o aumento do custo é de apenas 6,64% em relação ao custo que se tinha antes da aprovação da proposta. 

Novos custos com horas extras e adicional noturno 
Custo total sem horas extras
R$ 1.284,00
Custo total com 50 horas extras mensais (10 horas semanais, ou duas horas por dia)
R$ 1.689,98 (valor das horas extras R$ 340,50 + descanso remunerado R$ 65,48 reais + salários com encargos R$ 1.284,00)
Custo total sem horas extras, sendo que metade das 220 horas mensais são realizadas em período com adicional noturno
R$ 1.383,00 (salário com encargos R$ 1.284 + adicional noturno multiplicado por horas trabalhadas R$ 0,90 x 110 horas)
Custo total com 50 horas extras realizadas em período com adicional noturno
R$ 1.815,46 (salário com encargos R$ 1.284 + 50 horas de adicional noturno R$ 0.90 x50= R$ 45,00 + 50 horas extras em período de adicional noturno R$ 408 + descanso remunerado R$ 78,46)
Conforme mostra a tabela acima, no caso do empregado que faz horas extras há um aumento de 40,28% dos custos em relação ao custo que o empregador tinha antes da aprovação da proposta. No caso do empregado que não faz hora extra, mas trabalha em período com adicional noturno (das 22h às 5h), os gastos sofrem um aumento de 14,86%. E para o empregado que faz hora extra em período noturno, o aumento é de 50,78%. 

 DEIXE A PLANET LIMP CUIDAR DISSO PRA VOCÊ!


(fonte destas informações: site da Revista Exame)

segunda-feira, 25 de março de 2013

10 filmes a que todo empreendedor deve assistir

Muitas vezes saímos do cinema encantados depois de assistir a um filme. Uma boa história serve de modelo e inspiração para qualquer espectador. Por isso separamos dez filmes a que todos os empreendedores deveriam assistir. Com mensagens diretas e indiretas, atitudes lícitas (e às vezes nem tanto), eles mostram a atuação no mundo dos negócios. Prepare sua pipoca e inspire-se com a lista abaixo, composta por filmes mais recentes e outros tirados do fundo do baú.

1. O homem que mudou o jogo (2011)
Longe de ser um filme sobre esporte, O homem que mudou o jogo mostra como o treinador Billy Beane (Brad Pitt) fez o Oakland Athletics se destacar na liga nacional de beisebol. A grande sacada de Beane para fazer isso foi analisar estatísticas da equipe, que tinha a menor folha salarial entre as competidoras.

2. A rede social (2010)
A rede social conta a história de Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), o fundador do Facebook, mostrando a criação da rede dentro da universidade Harvard, em 2003. Mostra sua controversa relação com outros fundadores, como o brasileiro Eduardo Saverin (Andrew Garfield), e com empreendedores, como Sean Parker (Justin Timberlake), o primeiro presidente do Facebook.

3. Quem quer ser um milionário (2008)
Um dos maiores sucessos recentes do cinema indiano, Quem quer ser um milionário mostra o jovem Jamal Malik (Dev Patel) num famoso programa de perguntas e respostas na TV. Jamal busca em sua própria história, marcada por uma infância miserável e violenta, as respostas para as questões perguntadas pelo apresentador. É um exemplo de busca de força interior, algo essencial para empreendedores.

4. À procura da felicidade (2006)
Em À procura da felicidade, Will Smith interpreta Chris Gardner, um pai de família com problemas financeiros. Tantos que sua mulher sai de casa, deixando o filho Christopher (Jaden Smith), de 5 anos. Chris consegue um estágio não-remunerado numa corretora de valores, mas não consegue dar conta das despesas da casa. Com isso, ele e o menino acabam dormindo em abrigos e estações de trem. É um grande exemplo de que se você tem um sonho, não deve desistir de alcançá-lo.

5. Piratas da informática (1999)
Um clássico entre os apaixonados por tecnologia, Piratas da informática também é conhecido como Piratas do Vale do Silício. O filme mostra o começo de duas das principais empresas de tecnologia do mundo, a Apple e a Microsoft. Retrata as brigas de bastidores entre Steve Jobs (Noah Wyle) e Bill Gates (Anthony Michael Hall), a concorrência entre as companhias e sua importância no setor.

6. Jerry Maguire – A grande virada (1996)
Depois de uma crise de consciência, o bem-sucedido agente esportivo Jerry Maguire escreve um documento defendendo que os agentes deveriam cuidar da carreira dos atletas de forma mais humana, ainda que isso significasse ganhar menos. Depois disso, acaba sendo demitido da consultoria onde trabalhava e perde seus clientes, à exceção do jogador de futebol americano Rod Tidwell (Cuba Gooding Jr). Jerry Maguire – A grande virada é um filme que mostra como é possível vencer depois de um fracasso.

7. Tucker – Um homem e um sonho (1988)
Baseado numa história real, o filme mostra a trajetória de Preston Tucker (Jeff Bridges), um empreendedor que tinha o sonho de criar um carro à frente de seu tempo. Depois da Segunda Guerra Mundial, ele construiu o Trucker Torpedo, um carro mais seguro e veloz que os concorrentes da época. O projeto, no entanto, não deslanchou, pois sofreu com o lobby da indústria automobilística americana.

8. O segredo do meu sucesso (1987)
O jovem Brantley Foster (Michael J. Fox) deixa uma cidadezinha no Kansas para tentar o sucesso em Nova York. Ao chegar lá, as coisas não saem como planejadas e ele se vê obrigado a pedir um emprego ao tio, Howard Prescott (Richard Jordan), que controla uma empresa milionária. Como o trabalho é modesto, Brantley, decide levar uma vida dupla, criando um personagem chamado Carlton Whitfield, um executivo de ideias brilhantes, mas que ninguém sabe de onde veio.

9. Wall Street – Poder e cobiça (1987)
Wall Street – Poder e cobiça mostra que se você quer ser bem-sucedido, precisa enfrentar riscos. Bud Fox (Charlie Sheen) é um corretor ambicioso que trabalha no mercado financeiro. Certo dia, dá ao bilionário Gordon Gekko (Michael Douglas) algumas informações sigilosas e acaba se tornando seu discípulo, abrindo mão de ética, valores e escrúpulos para ter sucesso.

10. O Poderoso Chefão (1972)
A clássica trilogia dispensa muitas recomendações e mostra a trajetória da família Corleone e seus negócios ilícitos. Mostra as vantagens e as desvantagens de empreender “em família”.

Artigo originalmente publicado no Pequenas Empresas, Grandes Negócios, neste link aqui.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Bolo sem frescuras vira negócio de sucesso em São Paulo e vende até 5 mil produtos por mês

(Matéria muito interessante. Simplicidade pode ser o caminho do sucesso...)

O uso de ingredientes simples, que estão à mão, na despensa de casa, norteia renomados chefs na composição de seus pratos muito antes da gastronomia alcançar a popularidade que tem hoje. A máxima "menos é mais" serve também para a confeitaria. Em São Paulo, a empresária Renata Frioli comprova que para fazer um bom bolo não são necessários quilos de recheios esquizofrênicos ou confeitos importados. Na Bolo à Toa, sua loja em Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo, os clientes encontram bolos de receitas simples, como os feitos por vovós. 
"Quando decidi abrir a Bolo à Toa nem pensei na moda de lojas especializadas em um produto só. Eu me baseei nas minhas experiências. Queria comer um bolo simples e não era tão fácil de encontrar", explica a dona do negócio.
Fundada em 2011, a loja chega a comercializar até 5 mil unidades de bolos por mês e prepara-se para a abertura de duas novas unidades. A primeira delas será inaugurada ainda em 2013, no bairro Itaim. 
Demorei até começar a expansão porque é um passo que exige cuidado", explica a proprietária. De acordo com Renata, o produto com que trabalha segue um alto padrão de qualidade e, para mantê-la diante do crescimento do negócio, é necessário pensar muito bem na expansão. "As pessoas perguntam quando eu vou começar a fazer entregas. Por enquanto, não dá! Só teremos um serviço de delivery quando eu encontrar uma forma de manter o padrão de qualidade que ofereço na loja. Funciona assim também com o número de lojas", explica. 
O sucesso da Bolo à Toa não passa despercebido por investidores. No entanto, massificar a ideia não faz parte dos planos de Renata. "Recebo muitas propostas para transformar a marca em franquia. Mas recuso todas porque o foco são as lojas próprias. Seria muito difícil manter a mesma qualidade", conta. 
 Com foco no cliente final, a empresária ainda estabelece alguns limites para o negócio não se descaracterizar. Na loja, são vendidas unidades inteiras, que custam entre R$ 18 a R$ 22. "Também lançamos alguns sabores ao longo do ano, como na Páscoa. Mas são edições limitadas, que custam entre R$ 22 e R$ 25", explica.
 As receitas de Renata são tradicionais: ovos, farinha, leite, açúcar e fermento. Dessa base, 16 sabores são comercializados no local. O carro-chefe é o bolo de limão e iogurte. Mas o de fubá também atrai os clientes. "Nossos bolos são artesanais. O fubá é feito em um moinho de pedra com milho da fazenda mesmo", orgulha-se. "Sou neta de mineiros e morei no interior de São Paulo, então, o bolo sempre esteve na minha vida e mexe com a memória afetiva. Quando abri a loja, vi que eu não era só eu que sentia saudade de comer um bolo de avó", justifica.

Publicado originalmente aqui neste link, Estadão PME.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Matéria do Jornal Correio Mariliense com a Planet Limp - 17 de março



Abaixo, íntegra da matéria publicado no Jornal Correio Mariliense de domingo, 17 de março de 2013:
 
Os serviços de limpeza, atualmente, são cada vez mais essenciais a todas as empresas, sejam elas lojas, indústrias, lanchonetes, restaurantes, clínicas, salões, escritórios ou shoppings. Cada vez mais a limpeza de um ambiente se torna verdadeiro diferencial de qualidade para este ambiente.
Dentro deste contexto, a terceirização de serviços de limpeza surge como excelente alternativa para que as empresas, em geral, tenham foco em suas atividades-fim e deixem as atividades-meio para serem realizadas por profissionais. E sob esse aspecto, a limpeza é, sem dúvida, uma das atividades mais importantes e que merecem a devida atenção. 
Cresce a cada dia o número de empresas que estão optando pela terceirização de suas atividades-meio de limpeza, para se concentrar naquilo que realmente interessa, e não percam tempo com questões como: "quem vai limpar os banheiros da firma hoje?" ou "quem ficou de varrer a calçada do escritório?" ou ainda "fulano, a hora que der um tempinho aí no balcão você recolhe o lixo das salas" e por aí vai.
A limpeza profissional é assunto de extrema importância para diversos setores da economia, mas ainda não totalmente valorizada como se deveria. Em locais como hospitais, hotéis, aeroportos, rodoviárias, parques, escolas, condomínios, supermercados, shopping centers, bares e restaurantes entre outros, a limpeza só é percebida quando algo desperta a atenção e nota-se um ambiente sujo e mal cuidado. A limpeza está ligada diretamente à saúde de colaboradores, fornecedores e clientes, além de interferir na imagem que as empresas pretendem passar.
É por tudo isso que a Planet Limp oferece às empresas os melhores serviços de limpeza, para que os empresários e prestadores de serviços possam se concentrar nos seus próprios negócios. A equipe é profissionalizada, qualificada e treinada. Além disso, uma outra questão importante: direitos trabalhistas. A responsabilidade sobre qualquer direito trabalhista é totalmente da Planet Limp. 
A terceirização dos serviços de limpeza é essencial ao empresário que pretende crescer, aumentar suas vendas, aumentar sua produtividade, pois estará investindo todos os seus esforços naquilo que realmente interessa, deixando a limpeza a cargo de quem realmente entende.
Da mesma forma, a Planet Limp presta serviços nas residências, atuando de forma terceirizada também no setor doméstico. A empresa apresenta facilidades, que são seu grande diferencial: ela é quem faz a contratação e o dono ou dona da casa não precisa se preocupar com registro em carteira, INSS, FGTS, férias, salário ou outras questões trabalhistas. Também não precisa se preocupar com as referências, pois todas são checadas pela empresa. Todos os funcionários são treinados e qualificados e a Planet Limp oferece ainda uma outra vantagem: se o cliente não se acostumar com o funcionário, ele é substituído sem maiores questionamentos. Outro ponto interessante, é que o cliente da Planet Limp pode escolher quantas vezes na semana quer o serviço e o horário que lhe for conveniente.
Para as pequenas empresas, a Planet Limp tem a solução sob medida que são os serviços parciais: o funcionário vai à empresa apenas pela quantidade de horas necessárias para se fazer a limpeza e o cliente paga proporcional a isso, ou seja, uma pequena empresa também pode contar com serviços terceirizados, pode ter uma funcionária registrada e treinada e custar menos ou igual ao que ele já paga hoje informalmente.
Confira mais alguns serviços que a empresa oferece: limpeza pós-obra, limpeza de feiras e eventos esportivos, limpeza antes de depois de festas, limpeza pós-sinistros, desencrustração e tratamento de pisos, limpeza de estruturas metálicas e tubulações aéreas, limpeza de letreiros e fachadas, limpeza de vidros e janelas e ainda conta com serviços auxiliares de pequenos reparos (elétrica, hidráulica e pintura). Confira no site: www.planetlimp.com.br
A empresa fica na rua Bandeirantes nº 113, centro de Marília. Telefone: (14) 3422-1722 Email: contato@planetlimp.com.br / Acompanhe no facebook: facebook.com.br/planetlimpmarilia

quinta-feira, 14 de março de 2013

CUIDADOS COM AS COMPRAS COLETIVAS

Produtos e serviços com descontos que chegam a 90%. Difícil resistir à tentação, mesmo que à venda estejam itens não essenciais à sua vida, como café da manhã em hotel, tratamento contra celulite ou rodízio de sushi. Esse impulso está levando milhões de brasileiros aos sites de compras coletivas, a nova febre da internet. Em setembro, 4,5 milhões de pessoas entraram em páginas desse tipo, segundo o Ibope-Nielsen. Porém, se de um lado há empolgação com a novidade, de outro começa a surgir muita insatisfação.
As reclamações, em geral, referem-se à restrição de datas e horários para atendimento, e até de quantidade, em caso de refeições em restaurantes.
"As pessoas estão comprando cupons sem conhecer o serviço. Apesar do desconto, é preciso se informar antes. Basta navegar no site ou ligar para ter esse retorno" – disse Victor Haikal, especialista em Direito digital, do escritório Patricia Peck Pinheiro Advogados.

 

Cuidados na hora de comprar

  • Antes de comprar o cupom, visite o site do estabelecimento que está vendendo o produto ou o serviço. Vale a pena navegar na página ou ligar para a loja e apurar se a prestação está sendo feita de forma satisfatória;
     
  • Observe os Termos de Uso e Condições de Participação da compra;
     
  • Verifique a política de desistência da participação na compra coletiva;
     
  • Conheça a política de privacidade do organizador da compra coletiva para saber o tratamento que este dará aos dados fornecidos;
     
  • Fique atento à página de pagamento da oferta, checando se opera em ambiente de navegação segura e possui certificados digitais de segurança;
     
  • Verifique se há telefone de contato ou endereço para que o consumidor possa reclamar, caso algo dê errado.

 

Direitos do participante

  • Caso o número mínimo de participantes não seja atendido, o comprador deve ser ressarcido pelo que pagou;
     
  • O consumidor deve ser indenizado em caso de falhas na emissão do cupom para aquisição do produto ou serviço oferecido;
     
  • Se o estabelecimento ou fornecedor se recusar a receber o cupom, o organizador da compra coletiva (o site) responderá pela recusa;
     
  • Aceitando o cupom de pagamento, cabe ao estabelecimento cumprir com as condições oferecidas no mesmo;
     
  • O cupom dever ter informações explícitas sobre condições de uso, tais como dia da semana, horário, validade e eventuais restrições;
     
  • A empresa deve cumprir rigorosamente com o que ofereceu e na forma que ofereceu, ou seja, não pode cobrar taxas ou praticar preços diferentes das oferecidas no site.

 

A quem recorrer

Se o consumidor tiver qualquer problema em utilizar as ofertas dos sites de compras coletivas deverá, primeiramente, procurar resolver diretamente com o estabelecimento. Se não for atendido, deve procurar os órgãos de defesa do consumidor como o Procon (telefone 1512) para um acordo amigável. Se ainda assim nada for resolvido, pode recorrer aos juizados especiais  – indenizações de até 40 salários mínimos R$ 20.400, ou à Justiça comum.

(Esta matéria foi publicada originalmente no Blog do E-Commerce, neste link aqui)

quarta-feira, 13 de março de 2013

Limpeza pós-obra em Itapetininga

Na última semana, entre os dias 5 e 8 de março, a equipe da Planet Limp realizou limpeza pós-obra em um condomínio fechado na cidade de Itapetininga-SP. Nossa equipe foi responsável pela limpeza de toda área comum do condomínio, que compreende quiosques com churrasqueira, salão de festas, banheiros, quadras, área de passeio, etc. O salão de festas, por exemplo, é todo envidraçado, e tem vista para o por-do-sol, por isso as janelas precisam estar impecáveis. 
Funcionária da Planet realizando limpeza da área externa

Banheiro para deficientes - antes da limpeza

Banheiro para deficientes - depois da limpeza



Pia - antes
Pia - depois
Pia dos sanitários - antes da limpeza

Pia dos sanitários - antes da limpeza

Pia dos sanitários - após a limpeza


Piso área externa sujo

Piso área externa sujo

Piso área externa sujo

Piso área externa sujo

Piso área externa sujo

Piso área externa sujo

Piso área externa limpo

Piso área externa limpo

Piso área externa limpo

Quadra de jogos hidrojateada

Quiosque
Bonita vista a partir do quiosque
 

Bem, a equipe da Planet Limp foi bastante elogiada, os responsáveis pelo condomínio gostaram muito dos nossos serviços, devido à rapidez, eficiência e qualidade do atendimento que prestamos.

segunda-feira, 11 de março de 2013

A qualidade mais importante de um empreendedor não é a honestidade ou a integridade

Qual é o componente vital para a carreira de um empreendedor que faz com que todo o resto se torne irrelevante?

Bem Horowitz, sócio fundador de uma empresa de venture capital no vale do silício Andreessen Horowitz, fez uma importante observação sobre empreendedorismo.
Horowitz estava correndo atrás dos fatores que garantem um grande investimento. Um desses fatores é a equipe, ou mais especificamente, o empreendedor.
Horowitz disse ainda que o empreendedor é muito mais importante do que a ideia – porque se a ideia é ruim, um grande empreendedor vai enxergar isso rapidamente e, em seguida, mudar a ideia.
Horowitz percorreu vários exemplos disso, incluindo PayPal, Google e outros produtos de sucesso.
Os grandes empreendedores, segundo as pesquisas e observações de Horowitz têm 2 qualidades fundamentais:
  1. Brilho.
  2. Coragem.
A razão pela primeira característica é óbvia.
A razão da segunda característica, segundo Horowitz, é que as outras virtudes que todos querem enxergar em pessoas de sucesso: honestidade, integridade e etc. que é o resultado do fluxo de coragem.

E, se você não tem coragem, em momentos de estresse, as virtudes de integridade, honestidade podem rapidamente cair no esquecimento.
Especificamente, Horowitz diz que se você não tem coragem, você não vai ser honesto e vai se machucar com isso (quando a ideia em que você apostou sua empresa e reputação for ruim).
E se você não tem coragem, você não vai ter coragem de sair de uma boa oportunidade que lhe dá segurança para perseguir uma oportunidade que a maioria das pessoas classifica como loucura.
A exemplo disso, Horowitz apontou para Mark Zuckerberg e Bill Gates, que ambos desistiram de Harvard e Steve Jobs e Larry Ellison, que desistiram de outras faculdades.
Todos esses corajosos 4 homens estavam em carreiras que poderiam lhes levar ao sucesso. Ou pelo menos a alguma definição de sucesso que servem para as outras pessoas, mas não serviu para eles.
E por isso, todos eles se afastaram de suas “carreiras de sucesso” para correrem atrás do seu significado de sucesso.
Em retrospecto, a decisão que tiveram que fazer parece ter sido óbvia. Na época, não queria dizer nada. Era apenas mais uma ideia, mais um dilema, mais uma dúvida.
Por isso, além de brilho nos olhos, o mais importante em um empreendedor precisa ser a coragem para mergulhar naquilo que faz o seu sangue correr em suas veias.

É preciso muita coragem para conseguir sucesso na escalada do empreendedorismo.

Este artigo foi originalmente publicado neste link aqui.